Os Detetives Selvagens: resenha com cointreau
Literatura/Uncategorized

Os Detetives Selvagens: resenha com cointreau

Tudo que começa como comédia acaba como tragédia. Não há melhor frase para iniciar esta resenha de “Os Detetives Selvagens” de Roberto Bolaño que esta acima. É ela e outras que se repetem entre as páginas 497 a 513 que melhor definem o que Bolaño, escritor chileno que residiu no México e na Espanha, nos presenteou com … Continuar lendo

A Garota na Teia de Aranha – resenha com cointreau
Literatura

A Garota na Teia de Aranha – resenha com cointreau

Desde que me entendo por leitor fiz questão de fazer meus Top 10 de personagens da literatura que mais gostei. É fácil citá-los de memória (e olha que a memória anda muito prejudicada atualmente) porque são marcantes. Posso enumerá-los e enumerá-las numa sequencia aleatória agora mesmo: Tyrion Lannister (As Crônicas de Gelo e Fogo), Paul … Continuar lendo

Sono de Haruki Murakami: resenha com cointreau
Literatura

Sono de Haruki Murakami: resenha com cointreau

Que faz um livro simples ser profundamente impressionante? Talvez, melhor, provavelmente essa pergunta não tem razão alguma. A simplicidade na literatura, na verdade, impressiona. Impressiona, claro, desde que essa simplicidade na trama seja apenas um desfecho de elegância literária, elegância esta conduzida habilmente pelas mãos de um mestre da literatura como o é Haruki Murakami. … Continuar lendo

O Demonologista de Andrew Pyper: resenha com cointreau
Literatura

O Demonologista de Andrew Pyper: resenha com cointreau

Se há um mérito indiscutível no livro “O Demonologista” de Andrew Pyper é a publicização a um público jovem de uma das maiores obras literárias de todos os tempos: O Paraíso Perdido de John Milton (1608-1674). Digo que é um mérito porque Andrew Pyper constrói toda sua narrativa amparando-se na obra de Milton, como personagens … Continuar lendo

O que você mostraria aos ET’s caso tivesse que introduzi-los à musica, literatura e cinema humanos?
Realidade Overpower

O que você mostraria aos ET’s caso tivesse que introduzi-los à musica, literatura e cinema humanos?

Se tem alguém que me ensinou sobre a zuera foi a Madame Tai Castle – que você, caso tenha bom senso, deveria seguir no Twitter clicando aqui – e volta e meia entre pérolas de ambos, alguma coisa de útil sai. E ela teve uma ideia fantástica para post: O que você mostraria aos ET’s caso … Continuar lendo

Individuação Junguiana e 7 Leituras Inesquecíveis e Impactantes
História em Quadrinhos/Literatura/Literatura de Ficção Científica

Individuação Junguiana e 7 Leituras Inesquecíveis e Impactantes

Lá vou eu escrever sobre leituras impactantes e inesquecíveis (e vice e versa, ou seja, um verdadeiro oroborus tostines) novamente. E provavelmente faço isto por ser um exercício da memória, exercício este que me possibilita olhar para trás e perceber o agora, com suas transformações e, em especial, com as novas percepções. Definitivamente, venho gostando … Continuar lendo

TAG – Livros (de 2014 e para 2015)
Cinema e afins/Literatura

TAG – Livros (de 2014 e para 2015)

Tenho um relatório para escrever. Preciso adiantar três leituras (uma de Ecologia, outra sobre Constituições e Povos Indígenas e ainda outra de Metodologia, sem levar em conta relatórios sobre mineração). Estou ferrado. E o que estou fazendo neste exato momento? É, blogando, chaver! Não resisti ao convite de Lady Sybylla para blogar coletivamente sobre livros. … Continuar lendo

O Enigma Cultural da América Latina para um Brasileiro
Realidade Overpower

O Enigma Cultural da América Latina para um Brasileiro

Como estou finalizando uma etapa da pesquisa de meu alter ego na Colômbia, fiquei pensando nas similaridades e diferenças entre os países aqui da América Latina. Já conheço alguns mais outros menos, mas todos que visitei (México, Colômbia, Peru, Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai) mostram uma riqueza imensa, seja cultural ou ambiental. Essa impressão me … Continuar lendo

“A Realidade Oculta” de Brian Greene: resenha com cointreau
Literatura/Realidade Overpower

“A Realidade Oculta” de Brian Greene: resenha com cointreau

Acredito que o tema que mais me fascina na ficção científica seja a existência de um multiverso. Nos Quadrinhos, Crise nas Infinitas Terras, de Marv Wolfman e George Perez, e Terra 2, de Grant Morrisson e Frank Quitely, e na literatura, O Homem do Castelo Alto, de Philip K. Dick, figuram tranquilamente no Top 5 … Continuar lendo

“Nuestros amigos de Frolik 8” de Philip K. Dick: resenha com cointreau
Literatura de Ficção Científica

“Nuestros amigos de Frolik 8” de Philip K. Dick: resenha com cointreau

Se há algo muito comum aos livros e contos de ficção científica de Philip K. Dick é a recorrente suspeita de que as liberdades civis e democráticas são frágeis demais e, por isto, a sombra dos regimes políticos ditatoriais seja constante e quase “irreversível” no que toca a sua “força”. O que varia, entre uma … Continuar lendo

Literatura

“Prefiro o céu pelo clima, o inferno pela boa literatura”

A literatura vicia. Por isso é perigosa. Em todos os sentidos. Ela prende e faz pensar. E é egoísta, quer que nos debrucemos cada vez mais nela. Nos exaspera prendendo-nos a cada página, a cada livro. Pode ser poesia, pode ser prosa, pode não ser nada disto e tudo ao mesmo tempo agora. É lida ao ouvir, ouve-se sem ler e se lê com ouvidos atentos. É guerra, é paz, é areia, é mar. A literatura está no passado como está no futuro, mas nunca inteiramente está no presente porque ela avança em cada página e retrocede a cada lembrança. É sarcástica e podre como a crueza humana de Rubem Fonseca no conto “Placebo” no livro O Buraco na Parede ou é espiritual e profundamente engrandecedora como em Sidarta de Herman Hesse. Inspira-nos a pensar o mundo e o estar no mundo como em Todos os Homens são Mortais de Simone de Beauvoir ou o puro existencialismo em prosa em A Náusea de Jean Paul Sartre. A literatura é tudo isto e mais coisas. Escritores com gênero e sem gênero, humanos ou mutantes, terráqueos ou extra-terrestres. A tod@s a literatura suga para si, sem choro e nem lamento. Quem a conhece, não a esquece jamais, poderia dizer Chico Buarque, outro perdido nas entranhas literárias. Continuar lendo

Music in the Space

Literatura, Jazz e Cointreau em Copo de Requeijão: sempre uma boa pedida!

Conheci a minha boa literatura quando tinha meus quinze ou dezesseis anos. Por “minha boa literatura” me refiro a uma miscelânea de literatura francesa, brasileira e indiana e, posteriormente, acrescida da literatura mexicana, estadunidense, inglesa e argentina e “uns conta gotas” de outros países. Meus autores preferidos ainda hoje são oriundos desse cabedal pouco ortodoxo … Continuar lendo