História em Quadrinhos

Justice League Dark #1: resenha e download

Quando anunciaram que existira uma “Liga da Justiça Sombria” torci não apenas o nariz, mas a cabeça também. Fiquei parecido com a Linda Blair em “O Exorcista” quando está possuída pelo Pazuzu velho de guerra. Essa torcida ficava mais tensa conforme ia descobrindo “quem” faria parte dessa equipe. E lá estava John Constantine. Putz, nada pior para alavancar minha restrição a esse gibi. Mas de qualquer forma eu precisava ler a primeira edição para não ficar parecendo mimimi e fifização de quem toma leitinho com pêra e ovomaltino e não gosta de ser desagradado.

Então, agora a pouco, li a primeira edição de “Liga da Justiça Sombria” e meu veredicto sobre a história em quadrinhos?

Excelente!!! Peter Milligan (escritor) e Mikel Janin (ilustrador) criam uma história relativamente simples: personagem do mundo da magia se descontrola e os membros “realistas” da Liga da Justiça como Superman, Mulher Maravilha e Cyborg não conseguem solucionar o distúrbio. E não conseguem solucionar o distúrbio por um motivo simples: a Liga da Justiça não sabe, verdadeiramente, como lidar com fatores de magia. Considerei essa “justificativa” excelente, dada pelo escritor Peter Milligan, em introduzir a necessidade de “agentes mágicos” para lidar com esse distúrbio produzido por Magia.

Nesta primeira edição nos é (re) apresentada Zatanna. E acreditem, leitores e leitoras do Cabaré da Ideias, fiquei empolgadissimo com a caracterização da personagem. Ela é jovem e decidida – tanto que “enfrenta” Batman (para preservá-lo devido a sua importância para o mundo) e busca o bom e velho John Constantine para auxilia-la nessa empreitada de enfrentar a descontrolada Magia. Os demais personagens nos são apresentados em tramas paralelas – Shade (personagem do qual Milligan é especialista) é interessantissimo por se reconhecer desequilibrado,  Madame Xanadu é carregada de uma atmosfera sombria e pessimista, mas ainda assim corajosa e o Desafiador (Deadman) aparece rapidamente.O gancho para a próxima edição, na minha opinião, foi excelente: como um grupo de desajustados como este que está se formando dará conta de lidar com uma situação que pode tragar o mundo para um buraco permeado de loucura e magia – não necessariamente nessa ordem – ?

Como uma edição #1, considerei muito boa a dinâmica da história. Os desenhos seguros de Mikel Janin me lembraram, em alguns momentos os traços tão característicos de Kelley Jones – desenhista de Sandman e do Deadman – e Peter Milligan mantém a boa característica de um escritor experiente com HQ’s. É uma receita de sucesso para uma revista em quadrinhos que até pouco tempo atrás só me fazia ter dúvidas, para não dizer aversão. Me enganei. Não para algo razoável, mas para melhor, com toda certeza!!!

Para ler a edição em inglês clique aqui. E para a edição em português clique aqui. A tradução e diagramação foram feitas pelo Darkseid Club – com os devidos créditos, claro.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Justice League Dark #1: resenha e download

  1. Pingback: Liga da Justiça Sombria #2: review/download « Cabaré das Ideias

  2. O dowload n pega qui poxa :/
    tá dizendo que deu erro na url do bagui ou sei lá
    por favor me ajuda!!! quero mtmtmt ler esse comic 😦

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s