Literatura

Resenha com Cointreau: As Axilas de Rubem Fonseca

“Não está fácil arranjar emprego. Topo fazer qualquer coisa, mas sei que tenho problemas, como esse dente faltando na frente, um buraco feio que eu sei que causa uma impressão ruim. As pessoas que conheço perderam dentes lá de trás da boca, eu fui perder logo na frente.” Trecho de Sapatos do livro de Contos Axilas e Outras Histórias Indecorosas, publicado pela Editora Nova Fronteira.

 

Como que eu posso iniciar essa resenha? Rindo, né? Só pode. E rir é um efeito básico que  Rubem Fonseca me causa ao devorar toda a sua bibliografia extensa, escabrosa e cheia de pessoas sem dentes e miseráveis – no bolso e no espírito. E essa miséria hilária do ser humano, tão bem retratada nos contos e romances escritos pelo ex-Comissário de Polícia Rubem Fonseca está com toda certeza presente nesse último livro “Axilas e Outras Histórias Indecorosas”. Só pelo conto de abertura, Sapatos, citado ao início da resenha já facilita a transição para a realidade literária tragicômica que Rubem Fonseca magistralmente oferece aos seus leitores e leitoras.

Em “Axilas e Outras Histórias Indecorosas”, Rubem Fonseca abraça novamente o que há de melhor na sua literatura: pequenas escabrosidades do dia a dia, delírios e psicoses típicas da clásse média em franca expansão, frustrações amorosas, etc. Tanto que meus contos preferidos são “Sapatos” (como já disse) e “Gordos e Magros”. Enquanto no primeiro conto “Sapatos” acompanhamos as desventuras de um sujeito que precisa “amansar” um sapato para poder conseguir um emprego, em “Gordos e Magros” acompanhamos a revolução de um chocólatra apaixonado, mas sendo o Rubem Fonseca as coisas para suas personagens nunca são e serão fáceis. A frustração explode em qualquer um, não importa quão gente boa você seja. E não é diferente com Leandro, o protagonista dessa tragicomédia fonsequiana. Os custos de uma paixão podem ser maiores que os benefícios de uma cirurgia para redução de estômago. E saiba: você sai perdendo de qualquer forma. Frase final deste conto? “Não estava feliz porra nenhuma”.

RUBEM FONSECA. Fotografia de Zeca Fonseca

Neste livro Rubem Fonseca mantém uma pegada boa, deixando-nos diversas sensações: solidariedade, desprezo, compaixão, tudo isso e muito mais num estímulo constante de rir, mesmo que de situações nada engraçadas. Este é o mérito de Rubem Fonseca. Ele tem essa habilidade e sempre me cativou, principalmente em seus contos (embora seus romances sejam espetaculares também). Lembro-me de imediato de “O Cobrador”, “Placebo”, “A Escolha” e “AAA”, meus contos preferidos que, volta e meia, releio para ficar rindo da tragicomédia do espírito humano. “Sapatos” e “Gordos e Magros” entraram nesse hall estelar de minha prateleira mental no qual estão meus contos prediletos.

“Axilas e Outras Histórias Indecorosas” é uma ótima pedida de leitura. Li em algumas horas e valeu cada centavo investido. Para comprar o livro clique aqui.

AXILAS E OUTRAS HISTORIAS INDECOROSAS

Formato: Livro

Autor: FONSECA, RUBEM

Editora: NOVA FRONTEIRA-

Assunto: LITERATURA BRASILEIRA – CONTOS E CRÔNICAS

R$39,90

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s