Literatura Podre

MISÉRIA DE ESPÍRITO E DE BOLSO

Tem uma coisa que sempre me assustou nas pessoas, essa coisa é a miséria. Qualquer tipo de miséria. Pode ser o sujeito um pobretão, sabe, daqueles sem ter onde cair morto, mas também pode ser aquele sujeito que sente pena demais de si mesmo, esse eu também acho um miserável. Me dá até nojo. Fico pensando se não seria mais fácil dar um tiro na cabeça logo de uma vez. Sabe, até cheguei a me achar um miserável um tempo, mas daí pensei melhor e vi que era bobeira, sou um sujeito bem apessoado, trabalho de garçom já tem dez anos e sempre sou requisitado para serviços por aí na cidade, até em festa de grã-fino eu trabalho, vejo as mulheres de lá todas enfeitadas doidas pra foder com um cara cheio da grana, azar o meu que não tenho grana e sou garçom, fudido merece mesmo viver assim de garçom e não comer mulher gostosa e grã-fina. Só me sobra comer empregada, mas elas pelo menos me dão o rabo, mas o que eu queria mesmo era comer o rabo de uma grã-fina, acho que deve ser mais gostoso.

Como eu estava dizendo, não gosto muito dessa conversa de miséria. Uma vez fiquei com uma nega que dizia que eu ia ser pobre o resto da vida, enchi a cara dela de bolacha porque isso não é coisa que se diz pra sujeito como eu, depois dei uns amasso na nega que ela ficou mais molinha ainda, coisa que sujeito bom de cama que nem eu faz e faz bem. Daí também que tenho certeza que vou ficar rico logo logo. Outro dia fiquei duas horas no ponto de ônibus, vida desgraçada, só gente feia no lugar, o ônibus para a restinga devia ter quebrado, acho que todos os ônibus, porque demorou demais, pode crer. Bom, já que tinha sido obrigado a ficar esperando a merda do ônibus, comecei a reparar em todo mundo que tava perto de mim. Como disse antes, muita gente feia, nesse dia nem menina bonita pra poder passar a mão no ônibus tinha, só mulher velha e caída, ou então mulher nova sem dente, e daí não me animo muito não, ficar com vampirinha não dá, não dá mesmo, já disse que feio basta eu, né? Bom, com a quantidade de gente feia e sem dente perto de mim tive vontade de sair dando soco pra todo lado, mas daí podia sujar pro meu lado, aí não dava, porque eu tava de olho num serviço que ia ter no fim de semana numa festa de formatura da universidade, só coisa fina, já disse que trabalhei numa festa dessas e até catei uma patroa nos fundos da cozinha? Não era bem grã-fina, mas tava como convidada e era cheirosa, bem vestida e tinha todos os dentes, coisa que aprendi a respeitar bastante em mulher direita.

Tenho um amigo garçom, o Ronaldo, que disse que quando fico nervoso minha cara branca fica vermelha que nem tomate, eu devia ta com essa cara vermelha quando xinguei o ônibus tão alto que todo aquele povo feio do ponto de ônibus começou a me encarar. Tive vontade de mandar esses filhos da puta pra merda, mas sou sujeito bem comportado nas horas que me servem, se bem que na hora não me servia mesmo, daí xinguei o povo dizendo, tão olhando o que? Daí ninguém me olhou mais porque sou sujeito de impor respeito e olha que nem nasci aqui, sou do interior do estado de São Paulo, vim pra Porto Alegre com meu falecido pai e minha falecida mãe, que Deus os tenha, mas virei sujeito gaúcho mesmo, já fui de tudo, pedreiro, encanador, verdureiro, peixeiro, agora sou garçom e gosto de ser garçom, só não gosto de ser miserável, isso é coisa do tal do espírito, coisa que acho que nem tenho, porque deve ser coisa de boiola.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s